Em um mundo eternamente provisório, efêmeras letras elétricas nas telas de dispositivos eletrônicos.
19
Ago 10
publicado por José Geraldo, às 22:02link do post | comentar
Eu esqueci quem fostes,fantasmas do passado.Esqueci todos os beijose as tépidas noites de outono.Estou aqui pensandoe me tenho perdidocomo nos maus velhos tempos,com as mesmas palavrasgastas repetindo antigos erros.Gastei demais o meu tempogostando de coisas banais,depois veio a seca da vidae uma espécie de ressacaque teima com gosto amargoe este vento intrépidome faz sentir os pecadose pensar em coisas sem nexo. Tenho sido alguém sem sentido,tenho seguido caminhos a esmo,tenho encontrado tesouros perdidose deixado pedaços pelo caminho. Espero de vós, espíritos,que me acolham na madrugada,em sua longa, insípida alvorada. Já deixei o desejo de ser grandeagora quero apagar lembranças,traços de medos e traições que ficamdepois de tantas curvas e retas. Amanhã quero acordar leve,sem estes pesadelos de heroísmos.Antes que a morte me levedeixo o peso de ter passadoe sigo a segunda metade da vidalembrando coisas que apenas sonhei. 
assuntos: ,

publicado por José Geraldo, às 11:48link do post | comentar

Eu encontrei o amor de passagem por uma cidade estranha. Não fui ingrato de não lhe dar um sorriso, mas não estou conseguindo pensar direito mais desde aquele fatídico instante em que ele me rendeu como um assalte à sua vítima e levou de mim o único juízo que eu tinha. Margarida também percebeu, mas não tinha no bolso arma com que se defender do sorrateiro e acabamos terminando a noite dizendo bobagens um ao outro. Fizemos promessas que agora teremos de cumprir, despedimo-nos com votos de felicidades mas não pudemos seguir separados os nossos rumos porque eu tive de ser educado e oferecer-lhe uma carona de volta à sua casa em meu carro. Foram mais duas horas de convivência e nós não fomos fortes o bastante para resistir.

Agora estou com dificuldades para chegar ao final da semana porque sei que serei obrigado a ligar-lhe na sexta-feira e sei também que ela espera, horrorizada, que eu o faça. Logo agora que eu estava começando a ser um profissional bem-sucedido e tinha dinheiro para pagar mulheres. Logo agora que ela tem oportunidade de subir profissionalmente e poderia usar sua beleza para isso; eis que estamos presos um ao outro e impotentes diante dos demais. E temos de encontrar-nos na sexta-feira e no sábado. E temos de viver juntos tantos minutos quanto pudermos até finalmente esgotar-se o fim-de-semana em uma segunda-feira.

Não demorei quase nada para reconhecer os sintomas porque não estou enferrujado em minha perspicácia, apesar de me julgarem um tonto. Só que minha frieza não me ajudou e estou apaixonando-me.

Não posso me enganar: foi exatamente igual ao que sentiu o rapazola magrinho e de pernas grandes quando viu Adriana, parecido ao que atingiu o poetinha ingênuo que convidou para sair uma falsa Beatriz, idêntico ao que cegou um idiota que rendeu-se aos abraços e ao beijo íntimo de Elza.

Tendo, portanto, consciência do que estou fazendo, dedico-me a seduzir ainda mais essa jovem sorridente, enquanto eu próprio sou amarrado e amordaçado por suas mãozinhas frágeis e seus dentinhos que parecem querer comer-me.

Quando me der por mim, serei uma rês laçada. Que pena que só tomei tino de minha desgraça quando já era tarde para que fugisse ou gritasse que tentassem me impedir. Infelizmente ela não era uma garota de lá, alguém que o tempo me faria esquecer. E de novo delinqui contra meu credo pessoal.

Da próxima vez eu espero ter mais cuidado.

Cataguases, setembro de 2002


publicado por José Geraldo, às 07:41link do post | comentar

Estou tentando reorganizar neste blog todo o conteúdo que eu tinha originalmente instalado no meu antigo site. No momento eu ainda não sei se vou mesmo tentar recolocar o Mundos & Fundos em funcionamento, e por isso estou aproveitando para passá-lo a limpo aqui.

Enquanto faço isso, procuro postar os textos com a mesma data que eles originalmente tinham lá. Exceto nos casos em que os textos já existiam antes da criação do site. Nesses casos, e somente nesses, salvo engano, eu estou postando com data atual e acrescentando uma observação no rodapé sobre a data de composição.

Assim sendo, a data de postagem, quando não houver no rodapé nenhuma indicação de outra data, É a data em que o texto foi originalmente divulgado.

assuntos:

mais sobre mim
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





comentários novos
Ótima informação, recentemente usei uma charge e p...
Muito bom o seu texto mostra direção e orientaçaoh...
Fechei para textos de ficção. Não vou mais blogar ...
Eu tenho acompanhado esses casos, não só contra vo...
Lamento muito que isso tenha ocorrido. Como sabe a...
Este saite está bem melhor.
Já ia esquecendo de comentar: sou novo por aqui e ...
Essa modificação do modo de ensino da língua portu...
Chico e Caetano, respectivamente, com os "eco...
Vai sair em inglês no CBSS esta sexta-feira... :)R...
pesquisar neste blog
 
arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO